Categorias
Mente

Confiança – Como construir?

Confiança é igual distribuição de renda, poucos tem muita e muitos têm muito pouca. Não vamos dizer que é assim mesmo, que assim que deve ser, que são coisas da vida, que as pessoas nascem assim mesmo, que faz parte da essência. Por favor, chega de mimimi e autossabotagem, de jogar a culpa no meio, na criação, nos pais ou na situação do país. Confiança é uma competência, e competências a gente desenvolve.

Mas como fazer com que esse misto de experiência, com fé e coragem se torne confiança? Como dizer para aquela voz na mente que insiste em dizer “não vai dar certo” calar a boca? Tem dois caminhos, simplesmente manda-la calar a boca como fazem os heróis do cinema em frente ao perigo, naquele momento crucial em que o sensei lhes vem à cabeça e todo o treinamento ou desventuras que superou anteriormente passam como um flashback aos olhos de quem admira uma superprodução no conforto de sua cadeira. É, momentos assim acontecem, mas antes deles existe trabalho duro e muitos passos de bebê.

Aqueles pequenos detalhes que vão ensinando nosso inconsciente a programar respostas mais criativas e principalmente a construir confiança. Eles são nossa experiencia. E precisamos de experiencias de sucesso, mesmo que pequenas para irmos a diante. Então, cuidado com passos muito grandes, o insucesso deles pode te deixar traumatizado e o sucesso, imprudente. Misture pequenas coisas, mesmo que você acredite que está destinado a grandes conquistas.

A fé? Como ela vem? É preciso ter fé para avançar dia após dia, mas como construir esse elemento importante da confiança? Se você pulou o que te disse anteriormente, então não verá as coisas acontecerem para você e consequentemente não ensinará seu inconsciente que você sabe o que está fazendo. Você precisa agregar conhecimento para ter fé. Precisa conhecer as possibilidades, outras histórias e a sua própria. Conheço pessoas que não tem fé por viverem presas no passado ou esperando o futuro e esquecem de observar as conquistas do presente. É como se o controle remoto da tv de algumas pessoas ficasse no avançar ou no retroceder o tempo todo, e por mais que apertem o play ou o pause o controle não responde mais, pois a máquina inconsciente já se habituou à tarefa que executa. Portanto, para ter fé, é preciso praticar a presença.

E a coragem? Passou pelos outros pontos? Fez o que deveria fazer? Então ela vem naturalmente, exceto se você não tiver a razão correta ou a motivação certa. E quem determina isso? Seu inconsciente! É ele quem estipula os filtros e as direções a tomar, é o depósito de experiências que temos que pede por mais experiências semelhantes. Ao tomarmos ciência do que realmente queremos, e o queremos como precisamos de ar para respirar, a coragem surge. Ela não vai afastar o medo nem nada assim, o medo ainda existe para nos preservar, mas nos fará agir ao invés de congelar.

Então, queres uma receita simples para construir confiança? Faça, refaça, divida os passos em passos pequenos, comemore cada conquista, viva no presente e principalmente cultive sua fé e sua coragem. Dessa forma, mesmo que demore um pouco, tenho certeza de que a confiança virá. E se faltar alguma coisa? Faça como os grandes líderes, cerque-se de bons conselheiros. Precisando, estou aqui pra te ajudar!

Amanhã eu volto para falarmos de positividade…. até lá….

Fonte: http://www.andrehubler.com.br/confianca-como-construir/

Categorias
Mente

Felix Felicis – A poção da sorte

Ontem aconteceu uma coisa que eu preciso partilhar. O segredo da vida? Da existência? Não, esse cada um tem o seu. Descobri como acessar meu modo Felix Felicis. Se você não leu nem assistiu Harry Poter e o Enigma do Príncipe, eu te explico!

No filme Harry toma uma poção, que o deixa sortudo, o segredo dela é que quem a toma consegue o que quer. O mais interessante no filme é que o Harry parece navegar nas vontades dele, como se lesse em linhas tortas os acontecimentos futuros.

Bom, a boa e a má notícia é que ainda não conheci uma poção capaz de nos trazer tal estado, aqui longe da realidade ficcional de Harry Potter, mas identifiquei o estado de conexão com os mesmos sintomas da poção. Legal né? Muito, só que bastante difícil de conseguir.

Primeiro você precisa estar otimista, ver o lado bom das coisas e da vida, segundo precisa se conectar com a consciência universal, terceiro e mais difícil acreditar nos seus instintos. Nem todo mundo vem com um detector de intuição apurado, mas todos temos. Algumas vezes erramos porque queremos o que queremos e não permitimos ir atrás surfando na onda da consciência universal, o FLUXO.

Imagine que aquele estado de fluxo que entramos no processo criativo pudesse ser maximizado para a vida? Imagine como se o pensamento fosse um grão, uma pequena pérola no centro do cérebro. Agora imagine que esse grão pudesse se expandir usando energia do ambiente, visível e invisível. Agora imagine que tudo isso gera uma grande bolha ao seu redor, e instantaneamente você sente a onda do fluxo levando a bolha para navegar.

Se você for contra o fluxo de energia, poderá estourar a bolha energética, se você relaxar e deixar fluir, você navega sobre um oceano de realidade. Para ampliar essa capacidade são necessárias cinco competências:

  • Confiança
  • Positividade
  • Visão
  • Desprendimento
  • Ego Universal

Quer saber mais sobre isso? Deixa nos teus comentários as perguntas, dúvidas e sugestões. Amanhã eu volto para contar como foi o MOMENTUM desse estado emocional e energético!

Até mais….

Originalmente Publicado em: http://www.andrehubler.com.br/felix-felicis-a-pocao-da-sorte/

Categorias
Mente

Como aproveitar melhor a Energia do Feriado Farroupilha para renovar as energias?

Sabia que você pode aproveitar a energia do Feriado Farroupilha? Não?! Então te explico como.

O Feriado do dia 20 de setembro, no Rio Grande do Sul, celebra a Revolução Farroupilha. A data de 20 de setembro de 1835 marca a ruptura com o governo central e início da guerra, com a tomada de Porto Alegre e a destituição do então presidente provincial Antônio Rodrigues Fernandes Braga. Nesse dia, atualmente, por todo o estado e onde estiverem os gaúchos, celebra-se o orgulho e as tradições do Rio Grande.

Notasse que esse é um feriado que tem como característica três energias: Orgulho, Ruptura e Encerramento. E são essas as energias que podem ser aproveitadas no dia 20. Ainda mais se você aproveitar ao máximo a energia deste ano que é a Energia do 3 (20 + 09 +2017 = somados todos os algarismos até reduzir a 3).

O três é a energia da comunicação, da expansão. Então esse é um dia especial para realizar encerramentos e rupturas por meio do diálogo ou da conversa. E ainda melhor, aproveite que no dia 21, temos a energia disponível do ciclo da primavera, que representa o retorno da fertilidade.

Saca como é importante estar preparado para encerrar ciclos neste dia 20 e iniciar coisas novas no dia 21?

Então prepare-se, aproveite, viva e comemore o 20 de setembro com o pensamento de RENOVAÇÃO!

Categorias
Energia Mente

5 dicas para turbinar a sua felicidade!

Parece estranho, e talvez você nunca tenha parado para pensar nisso, mas a sua semana é a sua vida. Nossa mente usa a sensação do presente e o lastro do passado para nos dar a sensação de tristeza ou felicidade. Simples mudanças e rituais ao longo da semana podem fazer com que cada vez mais tenhamos a sensação de uma vida plena e feliz.

Ok, isso não vai fazer você ser feliz 24 horas por dia o tempo todo, até porque isso não existe, mas irá te ajudar a cada vez mais amadurecer nesse sentido. Separei algumas dicas simples para que você tenha cada vez mais harmonia e felicidade na sua vida:

1º – Tenha um ritual antes de ir dormir.

É importante que você tenha um ritual de relaxamento, isso faz com que a qualidade do seu sono aumente e também faz com que você possa prestar atenção a outras coisas na vida. Coisas simples como cuidar do corpo e do rosto, com rituais de limpeza e hidratação já ajudam muito. Acrescentar um momento de meditação ou um belo chá relaxante aumenta ainda mais o gradiente de relaxamento.

2º – Faça exercícios ao menos 2 vezes na semana.

Realizar atividades físicas aumenta os níveis de endorfinas no corpo. Elas são substâncias bioquímicas analgésicas, ou seja, analgésico natural, que tem a sua produção no nosso corpo potencializada com as atividades físicas. A endorfina ajuda a aliviar a dor e ainda regula as nossas emoções. Com emoções reguladas você consegue saber melhor o que é realmente problema e o que é mimimi do seu inconsciente.

3º – Medite sobre seus ganhos e perdas ao menos 1 vez na semana

Pare para pensar nos aprendizados que teve nessa semana, sobre os conhecimentos e materiais que acumulou ou perdeu. Isso ajuda a manter a mente em ordem e também a ter uma noção mais clara sobre a passagem do tempo.

4º – Planeje a diversão

Pode ser que você já tenha planejado algo e mesmo assim não tenha dado certo. Mas os números estão mais a favor de quem planeja. São 85% mais assertivos os eventos planejados do que os não planejados. Então planeje a sua diversão. Uma festa, uma saída para um parque, um bate-papo com amigos. Ao menos um turno na sua semana precisa ser direcionado para a diversão. Quanto mais intensa, mais duradoura a sensação de felicidade que ela traz.

5º – Se olhe mais no espelho ou faça mais selfies

O ato de criar auto identificação com a própria imagem traz mais felicidade e segurança no dia a dia. Criar hábitos de se observar por ao menos 5 minutos por dia, pensando nas alegrias ou nos planos futuros ajuda a fixar na mente esse aspecto de relação entre você e a felicidade.

Simples né? 5 dicas que podem revolucionar a sua vida. Estás na dúvida? Faça por ao menos 2 semanas e tu já notarás a diferença. Antes de começar crie um indicador de eficiência ou de felicidade e o mantenha atualizado ao menos 2 vezes na semana. E depois faça a comparação!

Precisando de ajuda para turbinar ainda mais a vida e a semana? A gente te ajuda, marque uma sessão gratuita de alinhamento de Coaching e entenda como essa técnica pode revolucionar o seu estilo de vida!

Categorias
Blog Mente

As três consciências – o Eu, o Outro e o Material

Aquele ou aquela ali do teu lado tem mais consciência que você? Mais maturidade? Nossa sociedade insiste em dizer que meninas crescem mais rápido do que meninos, eu digo “haammm?” Em qual universo isso acontece?

Quando fazemos essa afirmação estamos esquecendo que somos regidos por três consciências, e que estas têm grupos de maturidade diferentes. Pode alguém evoluir em função do EU, mas não em relação ao outro e ao material? Claro que pode. E cada um de nós, meninos e meninas, vamos evoluindo de acordo com as experiências que vivemos.

Nossos sentidos traduzem o mundo para nós, e essa tradução, vai ativando a reação em cadeia que surge na nossa primeira consciência, o EU, nos nossos primeiros anos da infância, vai se alastrando até o nosso último suspiro.

A consciência do EU, fala da nossa intelectualidade, da nossa capacidade e competências e também do nosso corpo. Só para esta consciência há diversos estágios de maturidade, imagine para as demais!

Entender quem sou EU, qual a minha relação com os OUTROS e com o mundo MATERIAL realmente não é tarefa do dia para a noite, mas pode sim ser acelerada ou calibrada.

Como assim? Nós sofremos cada vez que encontramos ou nos deparamos com uma dessas consciências não estando preparada para a realidade (tempo, espaço e a presença dos outros). E é esse sofrimento que precisamos reduzir, a isso damos o nome de amadurecimento.

Não somos como frutos que apenas o tempo nos amadurece, precisamos trilhar grandes jornadas em busca de conhecimento. Aqueles que passaram por dores da existência evoluem o EU, aqueles que se adaptam na sociedade evoluem o OUTRO, e aqueles que tem sucesso no mundo evoluem o MATERIAL.

Quantas pessoas você conhece que voltaram diferente depois de um mochilão ou um período junto a outras culturas? E que perderam alguma coisa de valor? Ou que sofreram um trauma?

É possível encontrar dois caminhos para a evolução e libertação de cada uma dessas três consciências, o caminho da dor e o caminho do amor. O primeiro é reativo, bastasse viver no mundo, o segundo é proativo, é preciso estar se preparando constantemente para ele.

Ninguém poderá ajudar quando o caminho da Dor é escolhido, o caminho reativo, pois o sujeito não evolui suficientemente para entender a maturidade da responsabilização. Já no segundo caminho, o caminho proativo, podemos encontrar diversas pessoas que nos dão a mão.

Muitas vezes ouvi dos clientes de terapia e coaching que não conseguiriam sozinhos, que é difícil. É por isso que a terapia Cocriacional Z trabalha justamente o caminho proativo do amor, da ação, da mudança do mundo interior e exterior, permitindo que cada uma das três consciências evolua.

Vamos crescer mais? Conversa comigo, marque uma sessão de Terapia Cocriacional Z e vamos ser felizes!

Categorias
Blog Energia

Acessando o Deus Interior

Você quer entender o que não te explicam? Vem comigo e segue esse raciocínio.

Você pensa, com palavras, com imagens, move seu pensamento, tem coisas na sua vida que você já compreendeu e aceitou, mas algumas dessas coisas ficam insistindo em voltar a sua mente? Como o vizinho que você já perdoou por aquela gafe, mas xinga mentalmente ainda, ou o chefe que você mandou longe há meia hora atrás, já entendeu que ele estava nervoso, mas ainda assim fica pensando f*d*p*?

Pois bem, vamos entender uma coisa, e isso está relacionado também à auto sabotagem, sabe o que é isso? É quando você inconscientemente faz algo que não gostaria de fazer pois tem medo de ser merecedor ou de perder alguma coisa. Tipo briga de casal, ou algo assim.

Bom, na tradição antiga, das antigas religiões, já se falava em 3 Eus. Os ‘Selfs’, que mais pra frente Jung vai dividir em consciente e inconsciente. Bem, na tradição antiga, eles já existiam, e como se tem esse conhecimento há muito tempo deveríamos estar acostumados a lidar com eles, correto? Não. Pois como o tema dessa série é o conhecimento hermético (fechado), o entendimento sobre isso também ficou restrito.

Vamos lá, temos o Eu Racional, aquele responsável pelos nossos cálculos matemáticos, nosso eu do presente e que pode viajar para o passado em nossas memórias ou visitar o futuro com a nossa imaginação. Esse cara acha que está no comando, ele pensa que é o dono da situação. É ele que diz para a gente que já está tudo bem depois de termos aquela pequena discussão com o chefe ou com alguém de casa. Porém, além dele, temos nosso Eu Profundo, ou o Inconsciente. Isso mesmo, o inconsciente já era tratado pela tradição das fadas há mais de dois mil anos. Esse Eu Profundo, que é nosso inconsciente, é onde ficam armazenadas todas as informações. Não temos uma ligação direta entre esses dois Eus. Por essa razão as religiões antigas criaram os Rituais, não só para o Divino, mas também para a conexão com o Eu Profundo. Segundo a tradição das Fadas, só é possível a conexão com o Eu Profundo – o Inconsciente – através do relaxamento profundo ou do transe dos rituais. E porque precisamos acessar esse cara?

Ora bolas! Esse cara é quem manda! Ele é como o sistema operacional do seu computador. Ele é 100% automatizado e nele ficam gravadas as informações mais importantes de nossa vida. É ele quem assume o comando quando você precisa sobreviver, e também quando fica excitado. É o inconsciente que responde qual nossa cor favorita quando simplesmente a sabemos, mas não sabemos explicar o porquê.

Se você quer mudar, é preciso acessar o Eu Profundo. Você deve estar lembrando do começo deste texto que falamos em 3 Eus. O Terceiro é o Eu Divino. Segundo a tradição das Fadas o Eu Divino é a conexão entre nós e as Deidades (Os Deuses), e só é possível acessar o Eu Divino através do Eu Profundo. Bahhhhh!

Entendeu agora porque é preciso meditação e relaxamento ou rituais que te levem ao transe? Para que você possa acessar o Eu Profundo e reprogramá-lo para acessar o seu EU DIVINO. Pesquisando isso, descobrimos que o povo das Fadas, segundo os registros históricos, eram pessoas de cultura pagã que tiveram de se refugiar nas florestas e nos montes devido a uma série de invasões na Europa. Bom, isso é assunto para um outro texto, mas, é importante contar, que entre seus rituais, pintavam-se de azul para uma conexão com o Eu Divino, pois acreditavam que o Deus que fazia a conexão com o Eu Profundo era Azul (Também teremos que ver isso em outro texto). Portanto se você vir um Smurf por aí, pense duas vezes antes de perguntar o que tinha no seu chá, pode ser alguém do povo das fadas fazendo a Conexão com seu Eu Divino.

Categorias
Blog

As estações

As estações do ano sempre trouxeram magia e fascínio aos mais atentos às forças da natureza. Esse balé das estações permite que a vida tenha seu ciclo e faz com que muitas culturas vejam o divino em cada uma dessas passagens, marcadas pelo calendário e pelos astros.

Esse pulsar entre outono e inverno, primavera e verão já inspiraram grandes artistas como Vivaldi  e William Shakespeare. Mas você já notou que muitos dos nossos costumes estão relacionados com as quatro estações? Inclusive nossa religiosidade em suas diversas expressões?

O Paganismo cultua a Roda do Ano, e aqui no Brasil a gente não importou direto da fonte e, por isso, muitas vezes, usamos a roda de ponta cabeça, meio americanizada. Vamos ver alguns exemplos?

Você já deve saber que as estações acontecem devido ao eixo de inclinação da terra em relação ao sol e sua orbita elíptica ao redor do mesmo. Com esse movimento temos equinócios e solstícios e através da observação dessas variações do tempo, os povos da antiguidade marcavam suas datas especiais nessas ocasiões.

Se você pegar a celebração de Yule, por exemplo, pode ser que encontre um menino nascendo, igual ao Cristianismo atual, preste atenção: Yule é a comemoração do Solstício de Inverno, data em que o sol aparece por menos tempo sobre o planeta. A partir desse dia ele gradualmente passará a ter cada vez mais minutos ocupando nosso céu. Os antigos povos entenderam que nessa data o pequeno sol renascia sobre a terra, dessa forma, a Deusa trazia vida ao Deus Sol Menino, que agora poderia ser celebrado. Como forma de celebração uma árvore era trazida para dentro de casa, de preferência uma árvore sempre verde como um pinheiro e decorada para as festividades. Alguma relação com nosso atual Natal? E se eu te disser que essa data que está relacionada com o Solstício de Inverno e ocorre aproximadamente no dia 21 de dezembro?

Se você estudar a Roda do Ano, vai encontrar todos os principais feriados modernos ali. Contudo, temos um porém, como importamos algumas tradições da américa do Norte, esquecemos de inverter a Roda do Ano e celebrar as nossas estações. Isso faz com que muitas vezes trabalhemos nossa energia de forma contrária a energia do Planeta. Você já leu por aqui que a Terra possui seus chakras e que tem energia magnética que influência em nossos estados físico, mental e emocional. Que tal dar uma invertida na Roda? E celebrar ela de acordo com sua natureza?

A sua oportunidade está aí, no próximo dia 31 comemora-se Beltane, o pleno florescimento “Os poderes da luz e da nova vida agora dançam e movem-se através de toda a criação. A Roda continua a girar. A primavera dá lugar à primeira floração plena do Verão e os Pagãos celebram Beltane com a dança da fita, simbolizando o Sagrado Casamento entre Deusa e Deus.” Alguma associação com nossas danças tradicionais, alguém lembra do pau-de-fita? Então, apronte seu altar de flores e vamos celebrar o início do Verão com a festa das Fadas!

 

 

 

Tabela dos Sabbaths completa:

Sabbath Hemisfério Norte Hemisfério Sul Associações
Samhain (vulgo Halloween) 31 de Outubro / 1 de Novembro 1º de Maio Morte e ancestrais.
Yule (vulgo Yuletide) 21 ou 22 de Dezembro 21 de Junho Solstício de Inverno e renascimento do sol.
Imbolc (vulgo Candlemass) 1º ou 2 de Fevereiro 31° de Julho Primeiros sinais da primavera.
Ostara 21 ou 22 de Março 21 ou 22 de Setembro Equinócio e começo da primavera.
Beltane (vulgo May Eve) 30 de Abril ou 1º de Maio 31 de Outubro / 1 de Novembro Pleno florescimento da primavera. Contos de fada.[7]
Litha 21 ou 22 de Junho 21 de Dezembro Solstício de Verão.
Lughnasadh (vulgo Lammas) 1º ou 2 de Agosto 1º de Fevereiro A colheita de grãos.
Mabon (vulgo Modron[8] ) 21 ou 22 de Setembro 20 de Março Equinócio de outono. Colheira de frutas.