As três consciências – o Eu, o Outro e o Material

Aquele ou aquela ali do teu lado tem mais consciência que você? Mais maturidade? Nossa sociedade insiste em dizer que meninas crescem mais rápido do que meninos, eu digo “haammm?” Em qual universo isso acontece?

Quando fazemos essa afirmação estamos esquecendo que somos regidos por três consciências, e que estas têm grupos de maturidade diferentes. Pode alguém evoluir em função do EU, mas não em relação ao outro e ao material? Claro que pode. E cada um de nós, meninos e meninas, vamos evoluindo de acordo com as experiências que vivemos.

Nossos sentidos traduzem o mundo para nós, e essa tradução, vai ativando a reação em cadeia que surge na nossa primeira consciência, o EU, nos nossos primeiros anos da infância, vai se alastrando até o nosso último suspiro.

A consciência do EU, fala da nossa intelectualidade, da nossa capacidade e competências e também do nosso corpo. Só para esta consciência há diversos estágios de maturidade, imagine para as demais!

Entender quem sou EU, qual a minha relação com os OUTROS e com o mundo MATERIAL realmente não é tarefa do dia para a noite, mas pode sim ser acelerada ou calibrada.

Como assim? Nós sofremos cada vez que encontramos ou nos deparamos com uma dessas consciências não estando preparada para a realidade (tempo, espaço e a presença dos outros). E é esse sofrimento que precisamos reduzir, a isso damos o nome de amadurecimento.

Não somos como frutos que apenas o tempo nos amadurece, precisamos trilhar grandes jornadas em busca de conhecimento. Aqueles que passaram por dores da existência evoluem o EU, aqueles que se adaptam na sociedade evoluem o OUTRO, e aqueles que tem sucesso no mundo evoluem o MATERIAL.

Quantas pessoas você conhece que voltaram diferente depois de um mochilão ou um período junto a outras culturas? E que perderam alguma coisa de valor? Ou que sofreram um trauma?

É possível encontrar dois caminhos para a evolução e libertação de cada uma dessas três consciências, o caminho da dor e o caminho do amor. O primeiro é reativo, bastasse viver no mundo, o segundo é proativo, é preciso estar se preparando constantemente para ele.

Ninguém poderá ajudar quando o caminho da Dor é escolhido, o caminho reativo, pois o sujeito não evolui suficientemente para entender a maturidade da responsabilização. Já no segundo caminho, o caminho proativo, podemos encontrar diversas pessoas que nos dão a mão.

Muitas vezes ouvi dos clientes de terapia e coaching que não conseguiriam sozinhos, que é difícil. É por isso que a terapia Cocriacional Z trabalha justamente o caminho proativo do amor, da ação, da mudança do mundo interior e exterior, permitindo que cada uma das três consciências evolua.

Vamos crescer mais? Conversa comigo, marque uma sessão de Terapia Cocriacional Z e vamos ser felizes!