As estações

As estações do ano sempre trouxeram magia e fascínio aos mais atentos às forças da natureza. Esse balé das estações permite que a vida tenha seu ciclo e faz com que muitas culturas vejam o divino em cada uma dessas passagens, marcadas pelo calendário e pelos astros.

Esse pulsar entre outono e inverno, primavera e verão já inspiraram grandes artistas como Vivaldi  e William Shakespeare. Mas você já notou que muitos dos nossos costumes estão relacionados com as quatro estações? Inclusive nossa religiosidade em suas diversas expressões?

O Paganismo cultua a Roda do Ano, e aqui no Brasil a gente não importou direto da fonte e, por isso, muitas vezes, usamos a roda de ponta cabeça, meio americanizada. Vamos ver alguns exemplos?

Você já deve saber que as estações acontecem devido ao eixo de inclinação da terra em relação ao sol e sua orbita elíptica ao redor do mesmo. Com esse movimento temos equinócios e solstícios e através da observação dessas variações do tempo, os povos da antiguidade marcavam suas datas especiais nessas ocasiões.

Se você pegar a celebração de Yule, por exemplo, pode ser que encontre um menino nascendo, igual ao Cristianismo atual, preste atenção: Yule é a comemoração do Solstício de Inverno, data em que o sol aparece por menos tempo sobre o planeta. A partir desse dia ele gradualmente passará a ter cada vez mais minutos ocupando nosso céu. Os antigos povos entenderam que nessa data o pequeno sol renascia sobre a terra, dessa forma, a Deusa trazia vida ao Deus Sol Menino, que agora poderia ser celebrado. Como forma de celebração uma árvore era trazida para dentro de casa, de preferência uma árvore sempre verde como um pinheiro e decorada para as festividades. Alguma relação com nosso atual Natal? E se eu te disser que essa data que está relacionada com o Solstício de Inverno e ocorre aproximadamente no dia 21 de dezembro?

Se você estudar a Roda do Ano, vai encontrar todos os principais feriados modernos ali. Contudo, temos um porém, como importamos algumas tradições da américa do Norte, esquecemos de inverter a Roda do Ano e celebrar as nossas estações. Isso faz com que muitas vezes trabalhemos nossa energia de forma contrária a energia do Planeta. Você já leu por aqui que a Terra possui seus chakras e que tem energia magnética que influência em nossos estados físico, mental e emocional. Que tal dar uma invertida na Roda? E celebrar ela de acordo com sua natureza?

A sua oportunidade está aí, no próximo dia 31 comemora-se Beltane, o pleno florescimento “Os poderes da luz e da nova vida agora dançam e movem-se através de toda a criação. A Roda continua a girar. A primavera dá lugar à primeira floração plena do Verão e os Pagãos celebram Beltane com a dança da fita, simbolizando o Sagrado Casamento entre Deusa e Deus.” Alguma associação com nossas danças tradicionais, alguém lembra do pau-de-fita? Então, apronte seu altar de flores e vamos celebrar o início do Verão com a festa das Fadas!

 

 

 

Tabela dos Sabbaths completa:

Sabbath Hemisfério Norte Hemisfério Sul Associações
Samhain (vulgo Halloween) 31 de Outubro / 1 de Novembro 1º de Maio Morte e ancestrais.
Yule (vulgo Yuletide) 21 ou 22 de Dezembro 21 de Junho Solstício de Inverno e renascimento do sol.
Imbolc (vulgo Candlemass) 1º ou 2 de Fevereiro 31° de Julho Primeiros sinais da primavera.
Ostara 21 ou 22 de Março 21 ou 22 de Setembro Equinócio e começo da primavera.
Beltane (vulgo May Eve) 30 de Abril ou 1º de Maio 31 de Outubro / 1 de Novembro Pleno florescimento da primavera. Contos de fada.[7]
Litha 21 ou 22 de Junho 21 de Dezembro Solstício de Verão.
Lughnasadh (vulgo Lammas) 1º ou 2 de Agosto 1º de Fevereiro A colheita de grãos.
Mabon (vulgo Modron[8] ) 21 ou 22 de Setembro 20 de Março Equinócio de outono. Colheira de frutas.